quarta-feira, 30 de maio de 2012

Na sala de espera da clínica de hemodiálise...

...quando abrem o portão para a rampa de acesso à sala de diálise



 Aquele que entra primeiro, sai primeiro.

terça-feira, 29 de maio de 2012

Ontem no metrô

Estava marcada para ontem mais uma etapa do meu tratamento de canal infinito, lá no HC, e fomos eu e minha mãe, de metrô, umas 7 horas da madrugada. É o horário que começa a lotar o metrô, não se compara à umas 8 e meia da manhã, mas já começa a dar uma lotadinha básica. "Pegamos" lá na Vila Prudente (ponto final da Linha Verde), ainda consegui achar alguns lugares vagos (entre eles os bancos azuis, os preferenciais), e sentei num desses. E não fui a única, vi vários (que aparentemente não tinham nenhuma deficiência e não eram de idade) sentarem nesses bancos...

Depois de duas estações, entrou uma velhinha (que não aparentava ter outro problema além da idade), e ficou no meu lado...me encarando...

...até que finalmente fala: "Moça, você está sentada no banco azul!!"

E eu...
...respirei fundo, peguei meu bilhete único amarelhinho (o especial) e disse: "Desculpe senhora, mas eu faço hemodiálise"

E foi isso, a velhinha desceu duas estações depois e eu umas oito estações... A mensagem disso tudo é, vocês, pessoas de idade que leêm o meu blog, quando forem reivindicar o vosso direito e tirar alguém dos bancos preferenciais, pergunte se o mesmo tem algum problema. Ele pode parecer jovem, mas pode ter algo muito mais sério que você.

Uma outra situação parecida  aconteceu sexta-feria passada, quando fui comprar um ingresso para o "Sarau o Benedito" do genial Arnaldo Baptista, tinha uma fila imensa lá no Sesc Vila Mariana, e eu permaneci nela. Só que como eu tinha uma sessão de hemodiálise uma hora depois, tive que ir para a fila do atendimento preferencial...todos me olharam feio quando passei por eles...


... e consegui comprar um ingresso na segunda fileira do teatro por causa disso!!



=B

(Gifs de vários tumblrs, principalmente do ScrubsGif)

segunda-feira, 21 de maio de 2012

Doentes renais famosos: Billy Preston

William Everett "Billy" Preston (2 de setembro de 1946 - 6 de junho de 2006) foi um músico soul bastante influente desde o final dos anos 60, colaborando com grandes nomes da indústria da música desde então, incluindo The BeatlesJohn LennonGeorge HarrisonRingo StarrEric ClaptonThe Rolling StonesSammy Davis Jr.Aretha FranklinThe Jackson 5Quincy JonesBob DylanSly & the Family StoneJet e Red Hot Chili Peppers, principalmente no teclado e vocal. (dados da wikipédia)




Billy morreu aos 59 anos de idade devido à complicações renais, chegou a fazer um transplante, mas o órgão não se adaptou e fazia hemodiálise.


Alguns vídeos dele:


(Vídeo do show em homenagem ao beatle George Harrison)


(O fato do Clapton estar presente nos dois vídeos é apenas uma deliciosa coincidência. =P)

Ah! Ele também esteve presente do famoso "Rooftop Concert" dos Beatles, tocando teclado... um clássico!

quarta-feira, 9 de maio de 2012

Uma fila sem posições certas

A fila do transplante renal não segue mais uma ordem de chamada, e sim de compatibilidade. Há casos de pacientes que em 2 meses foram transplantados, e de outros, que estão há 12 anos na fila de espera por um rim. Esta mudança ajudou a diminuir o número de rejeições do órgão.

Embora haja avanços na área de transplante, o número de doações de órgãos ainda é menor do que o necessário para o nosso país, isso por causa dos mitos sobre a doação

Os mitos:

"Se os médicos do setor de emergência souberem que você é um doador, não vão se esforçar para salvá-lo."


Se você está doente ou ferido e foi admitido no hospital, a prioridade número um é salvar a sua vida. A doação de órgãos somente será considerada após sua morte e após o consentimento de sua família.

"Necessidade de qualquer documento ou registro expressando minha vontade de ser doador."

Não há necessidade de qualquer documento ou registro, apenas informe sua família sobre sua vontade.

"Somente corações, fígados e rins podem ser transplantados."

Órgãos necessários incluem coração, rins, pâncreas, pulmões, fígado e intestinos. Tecidos que podem ser doados incluem: córneas, pele, ossos, valvas cardíacas e tendões.

"Você está muito velho para ser um doador."

Pessoas de todas as idades e históricos médicos podem ser consideradas potenciais doadoras. Sua condição médica no momento da morte determinará quais órgãos e tecidos poderão ser doados.

"A doação dos órgãos desfigura o corpo e altera sua aparência na urna funerária."

Os órgãos doados são removidos cirurgicamente, numa operação de rotina, similar a uma cirurgia de vesícula biliar ou remoção de apêndice. Você poderá até ter sua urna funeral aberta.

"Sua religião proíbe a doação de órgãos."

Todas as organizações religiosas aprovam a doação de órgãos e tecidos e a consideram um ato de caridade.

"Há um verdadeiro perigo de alguém poder ser drogado e quando acordar, encontrar-se sem um ou ambos os rins, removidos para ser utilizado no mercado negro dos transplantes?"

Essa história tem sido largamente veiculada pela Internet. Não há absolutamente qualquer evidência de tal atividade ter ocorrido. Mesmo soando como verdadeira, essa história não se baseia na realidade dos transplantes de órgãos.

(Dados retirados do site da Associação Brasileira de Transplante de Órgãos - ABTO)]





terça-feira, 1 de maio de 2012

Segunda-feria caótica na hemodiálise

Era feriadão, São Paulo estava vazia, chuvosa e gelada, mas não importa, tinha que ir para a hemodiálise mesmo assim. Tinha tudo para ser apenas uma sessão normal, com um número reduzido de pacientes (muitos pedem a "diálise em trânsito", e dialisam na cidade para onde vão viajar), mas tornou-se um caos desde o começo. Ao ligar, um paciente "X" (não vou citar nomes, não acho legal isso) sofreu para furarem a fístula dele, acabou gerando um hematoma...(dá uma olhada na agulhinha que eles furam a fístula aqui, e você aí reclamando quando tem que tirar sangue...eles ficam 4 HORAS com isso no braço). 

Tirando essa ocorrência, e uma deliciosa trocada de curativo do pessoal que tem cateter (agora estou com um curativo que não tem necessidade de trocar toda sessão, apenas uma vez por semana! YAY), a diálise decorreu bem até os 30 minutos finais. A paciente "H" e o paciente "J" começaram a sentir fortes câimbras; a máquina do paciente "X" começou apitar loucamente e foram ver no braço dele a "agulhinha" tinha saído e estava vazando; a pressão do paciente "I" começou a cair e estava sentindo mal estar...ou seja, todos tinham que ser "desligados", e no bloco, só tinham dois técnicos de hemodiálise. De outro lado, estava eu, com a mina bexiga cheia há mais de 1 hora (meus rins funcionam ainda 10%, ainda urino, o que mascarou por anos a minha doença).

E o caos continuou, estancavam o sangramento do paciente "X", desligavam a "H", davam glicose para o "J" e desligavam o "I", e eu lá, faltando meia hora na minha máquina. Já tinham tirado as agulhas e feito o curativo no "X" e no "I", as câimbras de "H" e "J" já tinham passado,  enquanto a minha máquina continuava com 30 minutos faltando. O curativo do "I" vazou (e surge outra poça de sangue no chão da diálise!) e tiveram que trocar, tiraram as agulhas de "H" e "J" e fizeram os curativos, o paciente "X" já estava indo embora, e eu ali, faltando 30 FUCKING MINUTES! O tempo na minha máquina não passava, já estava pensando em arrancar o meu cateter a sangue frio e ir correndo pro banheiro (e depois morrer com hemorragia riairiair). Comecei a sentir dor de cabeça e pedi uma dipirona EV, e esperei. Foram os 30 minutos mais longos da minha vida. Ao me desligarem, sai correndo loucamente para o banheiro (não estava nem aí com o fato que minha pressão pudesse cair e eu desmaiar). Alívio igual àquele eu nunca senti, acho que só irá superá-lo quando tirarem esse meu cateter depois do transplante...sonho com esse dia!