terça-feira, 27 de março de 2012

Quando o ferro de passar roupa é a solução

Dor de dente. Das bravas mesmo, não aquelas onde o dente só dói quando chupa aquele picolé de fruta, mas daquelas que você começa a ter pensamentos suicidas. Nada como uma boa dor de dente para testar as telinhas na janela do teu apartamento no nono andar.(Não mãe, eu não tentei me matar essa noite, fica sossegada!)

No domingo, um dos meus dentes mais fanfarrões quis dar sinal de vida. No começo, não era nada mais do que uma dor "Iuuuhhull, eu estou aqui!!", mas foi piorando para o estágio "Porque você não morre mesmo???" conforme foi passando o tempo. Na madrugada de hoje (terça) foi o ápice de dor, dipirona não fazia mais efeito. Mas aí vocês me perguntam: "E dentista, ooo sua estranha???" Eu fui, há quase um mês nos dentistas simpáticos do HC, e já estava marcado um tratamento de canal para esse mesmo dente, só que para MAIO. Como não sou ryca para pagar um tratamento de canal aqui em São Paulo, resolvi esperar né. 

Passei a noite em claro, com o ferro de passar roupas ligado ao lado da minha cama, esquentando um paninho para colocar na minha bochecha para ver se melhorava. Até ajudava, mas não era o suficiente. E quando o dia raiou (ai como estou poética!), eu e minha mãe fomos para o HC, sem ter certeza se iriam me atender. Ainda bem que me atenderam. Abriram o canal e medicaram. Foi um sofrimento a parte, mas nada como colocar um cateter, por exemplo.

"Mas Kraw, e o que isso tem a ver com os seus rins????" Tudo. Ok, não tuuuudo tudo. 
Para fazer um transplante, é extremamente necessário que o paciente não tenha nenhum foco de infecção, pois após a cirurgia, e para o resto de sua vida, ele vai tomar imunossupressores, um remédio, cujo o próprio nome já indica, que reduz a eficiência do sistema imunológico do indivíduo. Eles servem para diminuir a chance do órgão ser rejeitado, e é por isso, que nós, candidatos ao transplante, passamos por uma bateria gigantesca de exames, entre eles odontológico e ginecológico (se for molhér, é claro né!). 

2 comentários:

  1. Eu tenho pavor de dentista: um dia fui extrair um dente do siso e deu tudo errado, entrou até martelo na história!

    Descobri que vou ter que fazer uma raspagem para tirar tártaro, tomare que não seja nenhum ritual tão selvagem kkkkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Raspagem é sussa, acho que é parecido com aquela limpeza...nem dói..riariairairiair

      Excluir