segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Sabedoria popular e outros absurdos

Eis que estava falando sobre os meus remédios com uma senhora, cujo conhecido iria passar por um transplante renal, explicando sobre a atuação dos imunossupressores e a importância do enfraquecimento do sistema imune para que não ocorra uma rejeição do órgão, e surge do nada, uma outra mulher, gritando em alto e bom som:

 "MOÇA, CÊ TEM QUE PARAR DE TOMAR PREDNISONA, ESSE REMÉDIO ABAIXA A TUA IMUNIDADE E VOCÊ PODE PEGAR UMA PNEUMONIA!!! Não fica tomando essas coisas aí não, pq vc pode morrer!"





Claramente essa pessoa não tinha noção do que estava falando, e como é de costume em nossa sociedade, já foi se intrometendo no assunto.



Nesses quase dois anos de doente renal já ouvi tantos absurdos que estou treinada a interceptar a pessoa enquanto ainda está falando a besteira, ou, dependendo da pessoa, concordo com ela desde início só para não perder o meu precioso tempo teimando com alguém que não estaria disposto a rever alguns conceitos.




Uma das coisas que mais me irritam é o ar de acusação quando você diz para a pessoa sobre a doença,  e ela automaticamente relaciona com o consumo de água:

"Ê MENINA, CERTAMENTE VOCÊ NEM BEBIA ÁGUA DIREITO NÉ!"




Não, minha querida, eu não bebia água, e por não beber água, meus rins foram parando de filtrar e atrofiaram. Sim, ocorreu exatamente segundo as teorias Lamarckistas e talvez, sei lá, daqui algumas gerações, meus descendentes não teriam mais rins!!




Outra que ocorre bastante, essa um pouco mais conceitual, me alertou o quanto as pessoas ou não tiveram acesso a uma aula de biologia básica, ou se tiveram, simplesmente não prestaram atenção:

"MAS VC TRANSPLANTOU UM RIM OU OS DOIS?"

" Transplantei só um, oras!"

"UÉ, MAS DÁ PRA VIVER COM UM SÓ DESDE QUANDO!??!!?!!?"




Até quando as pessoas vão continuar não sabendo que dá pra viver com um rim só?? Até quando vão ter medo de doar um dos seus, com medo de que irão sentir muita falta do órgão depois?? ATÉ QUANDO BRASIL???


Então é isso. Tenho mais outros absurdos, mas acho que o post vai ficar muito longo. 

Ah! Estou tirando a minha carteira de habilitação!





sábado, 13 de julho de 2013

A revolta da biópsia Parte II

Como disse no último post, o pior estava por vir. 

E para ilustrar os relatos daquele dia, nada melhor que..


Tudo começou ás 3 da madrugada, duas horas depois que cheguamos no apartamento. Estava com a bexiga cheia e quase não conseguia urinar.

De início, pensei que estava com a bexiga vazia, por isso não saia nada.

Deu 4 horas da manhã, acordei com uma dor terrível, fui para o banheiro e NADA! 
NADA!


E desse jeito passei por mais umas 5 horas, quando resolvi me arrumar, pegar a receita e ir na farmácia comprar os analgésicos que o médico tinha me receitado na noite anterior. Pensei que se a dor passasse, eu conseguiria urinar e tudo aquilo passaria. Fui, comprei Codeína. Tomei. Capotei na cama, dormi que nem um anjinho com uma bexiga cheia.

 Acordei já eram quase 11 horas da manhã. Fui no banheiro novamente, e a dor foi tamanha que chorava  tentando urinar. A única coisa que saiu foi um puta dum coágulo de sangue pela a uretra! Aí pensei. F!@#1!! Teria que voltar para o HC.

Só que estava sozinha em SP, meu irmão estava no trabalho e meus pais em Minas. Liguei para a minha mãe e ela chamou uma vizinha pra ir comigo. Cheguei no Hospital e logo me deixaram entrar no Pronto Socorro. Fui direto para o consultório dos urologistas, abri a porta, sem conseguir esperar que finalmente me chamassem. e pedi para sr atendida pois a dor já estava insuportável! Já eram mais de 13:00, não urinava desde a madrugada!!


Me atenderam. Teriam que passar uma sonda de alívio, limpar os coágulos que estavam na bexiga e ver se eu conseguiria urinar de maneira espontânea, só assim me liberariam.

Tentaram passar uma sonda "24" logo de início. 


Não conseguiram, só machucou ainda mais! Depois foram sensatos e passaram a "18", e foi tudo bem! A sensação de alívio!!!


QUE DELÍCIA, MINHA BEXIGA ESTAVA VAZIA!

E continuavam a tirar coágulos dela, limpando com um litro de soro. O único problema era o procedimento. 

Como o HC é um hospital escola, quem estava realizando a evacuação de coágulos era um residente. Logo, teriam que chamar mais um pessoal lá para supervisionar. Eis que chegam mais dois. 



E eu lá. COM UMA PUTA DUMA MANGUEIRA NA MINHA URETRA!


BAITA SITUAÇÃO CONSTRANGEDORA, diga-se de passagem!!

A bexiga estava vazia e limpinha. Pediram uma ultrassonzinha só pra ver se tinha acabado os coágulos e se eu conseguisse urinar sozinha iria embora!

Bebi água como se não houvesse mais amanhã e quando tive vontade de ir no banheiro de novo, TCHARÃ! Nada de conseguir urinar!


E no resultado do ultrassom mostrou que ainda tinha mais um porre de coágulos. 

Teriam que passar outra sonda.

Passaram.

Bebi mais água.

Volto no banheiro

URINEI!



E fui embora!


E estou urinando normalmente desde então!



Feliz dia do Rock, pessoal!


sábado, 6 de julho de 2013

A revolta da Biópsia!

Aviso a todos que vão ler esse post em busca de mais informações do que é esse exame: Não se baseie no que ler aqui. O que aconteceu comigo foi devido a outros problemas que eu apresentava antes. Acredite nos decisões do teu médico, ele sabe o que é melhor para você. 


No último dia 27, há mais de uma semana atrás, cheguei no Hospital das Clínicas da FMUSP para mais um exame: a temida Biópsia Renal.

Bem, uma breve explicação do que é esse exame. Trata-se de uma PUTA DUMA AGULHONA MONSTRA que enfiam no órgão a ser estudado e do nada faz UM ESTRONDO GIGANTESCO e essa agulha vai lá e arranca um PEDAÇÃO do teu rim. Analisando esse BIFE que eles cortaram, vão poder diagnosticar vários problemas, o que ajuda muito no tratamento de infecções e até pequenas rejeições do tecido implantado.

O exame foi realizado ás 13:00, foi simples, durou cerca de 20 minutos e logo após  tiveram que ficar pressionando o local por mais uma boa meia hora para estancar o sangramento. Depois, eu teria mais umas 4 horas de repouso total (sem poder me levantar nem para ir para o banheiro) e seria liberada.

Doce ilusão!!

Como não pudia levantar, tive que urinar numa "comadre". A primeira vez saiu PURO SANGUE!


Chegou a hora que, em tese, eu poderia ir embora, e ainda estava urinando sangue. Eram 16:30, ligaram para o médico que realizou o procedimento e nada dele aparecer para me avaliar. 

EU QUERIA IR EMBORA!

Porque ele não aparecia????

Deu hora de fechar a ala em que eu estava, e me mandaram para o Pronto Socorro, com o meu irmão, que estava de acompanhante. Me falaram que lá iria ser atendida rápido e então iria embora.
Uma equipe de urologistas me examinaram, e por eles, eu já estava de alta MAS, ainda precisava ser examinada pelo o INFELIZ que não aparecia por lá de jeito nenhum!

Deu 19:00 horas, e vieram me avisar que ele estava entrando na sala de cirurgia para fazer um transplante renal.



Haviam chamado ele já faziam 2 horas e meia e ele entra pra fazer uma cirurgia que demora de 4 a 6 horas. O meu transplante demorou 5 hrs e meia!!

Não comia nada desde o desejum que me oferecem ás 14:00, algo bem leve. Estava com muita fome e os guardas não deixavam o meu irmão trazer comida para mim! Me oferecem uma canja, duas torradas e uma laranja sem descascar. Isso já era quase 22:00.

A cada hora que passava eu me estressava mais, chorava de raiva!! Estava ali, sentada numa cadeira de rodas, num ambiente cheio de bactérias oportunistas, porque um médico não pôde, em 2 horas e meia, pegar um elevador e descer para dar uma olhada em mim! NEGLIGÊNCIA PURA!!


Deu 0:00, os metrôs e os caixas dos bancos fecharam. Se nos liberassem antes das 4:40, teríamos que pagar táxi. Só que não tínhamos dinheiro para uma viajem da zona oeste para a leste! 

Deu 0:30, o médico plantonista que eu fiquei enchendo o saco durante a noite toda, resolveu subir lá no centro cirúrgico para perguntar do médico. O urologista que realizou a biópsia simplesmente virou pra ele, mandou me liberar, receitar alguns analgésicos e aconselhar beber bastante água. SÓ ISSO. Acabou que eu NEM VI A CARA DO INFELIZ! 

Ele me fez esperar 8 horas, sendo que poderia ter enviado outro médico no lugar. 8 HORAS! 
Eu não era um papel em que estava escrito um nome e o exame a ser realizado.
EU ERA UMA PESSOA ALI, com problemas, com dores...
DESCASO!

Mas isso era só o começo. O problema viria durante a madrugada, mas isso eu falo em outro post!

Bjs nos rins de vocês! 




segunda-feira, 17 de junho de 2013

Vestibular, medicina e Lego

Olá queridos leitores deste humilde blog!

Neste domingo (16/06/13) prestei um vestibular da UFTM, para medicina, e posso dizer que foi o meu último para esse curso. 

Não, eu não tenho como dizer que eu passei, muito menos o resultado da primeira fase pode fazer isso por mim.


Minha nota foi boa, fiz uma ótima pontuação, mas não para medicina.  Aliás, percebo o quanto usei essa sentença na minha vida: "fiz uma ótima pontuação, mas não para medicina", como se ela fosse a única opção, a única escolha a ser feita. Foi muito tempo e dinheiro investido nisso, tive toda essa zuera dos rins nesse meio tempo, mudanças e mudanças de cidade, de pensamento e afins.

Adoro a medicina. Adoro MESMO! Eu seria uma baita duma médica daora, uma nefrologista com experiência. Minha ideia era de cuidar de jovens com problemas renais, é uma fase difícil, sei muito bem como é. Mas aí eu analiso a minha situação. Vou para São Paulo todo santo mês, e de cada consulta, eu saiu com uma receita nova de um antibiótico novo para combater uma infecção fanforrona que adora me atacar! TODO O SANTO MÊS! A minha imunidade tá zuada demais! Como eu vou lidar com gente doente? Trabalhar num hospital? 



Aí passei a reparar quanto tempo eu passo jogando The Sims e suas versões, construindo e construindo casas legais (com o uso do motherlode, porque né..), procurando sites de planejamento de casas e teve uma época durante o ano passado, em que eu tive MUITO tempo livre (muito mesmo), até assistia vídeos de máquinas de fazer blocos de concreto!! E mexendo na minha zona de papéis velhos no meu quarto achei um porre de folhas de sulfite com  plantas que desenhei!! 

E é com a ajuda dos meus pais, amigos, familiares, psiquiatras, professores de biologias, minha gata e a médica que cuidou de mim desde que cheguei no HC sem saber o que estava acontecendo comigo, que anuncio que de agora em diante vou prestar para Engenharia Civil!!




Sim, agora sou uma exatóide. Não dói tanto quanto eu imaginava. 
Vou trabalhar, ganhar dinheiro, conhecer esse mundão e construir uma casa de Lego, que nem o  fod@ do James May!


Porque, fala sério, tem algo mais supimpa que Lego? Imagina que legal, a tua internet cai, aí você vai lá desmonta a tua prateleira, e PRONTO! Diversão para a tarde toda!

segunda-feira, 27 de maio de 2013

segunda-feira, 15 de abril de 2013

Os ratos com Insuficiência Renal comemoram: foi criado o rim sintético!

Por Níquel Nauzea, 15/04/2013



Hoje o dia começou com festa na Clínica de Hemodiálise "Ratão saudável". A  notícia de que cientistas americanos conseguiram "cultivar" um rim sintético em laboratório e transplantá-lo em um rato deixou os pacientes eufóricos.



O rim sintético é a esperança do velho Jason, de 1 ano de idade. Famoso ator da tv norte americana, onde viveu o herói "Jerry" que fugia das garras do grande gato malvado "Tom", está há 2 semanas esperando por um transplante. "O meu rim vai ter nome de Santo, quero o nome mais bonito!!" disse ele, com lágrimas nos olhos.


O médico Dr. Mickey Ratudo diz que a notícia é motivo de comemoração, mas que o rim sintético demorará alguns anos para estar disponível à população "Infelizmente essa tecnologia vai atender apenas as futuras gerações".

Um dos cientistas responsável pela pesquisa e filho de humanos, Dr. Stuart Little diz que há intenção de criar um rim humano. "O problema dos humanos é que eles são muito complicados" diz o doutor.

  Dr. Stuart Little é filho do Dr. Casa, nefrologista e infectologista 
de humanos.

A descoberta despertou também a atenção de outros do Reino Animal. O representante das Lhamas se pronunciou  nesta segunda-fera avisando que seu rim sintético proporcionará conexão wi-fi e aceitará aplicativos da Pinha Store, e que a versão Deluxe vai fazer até café.


sábado, 12 de janeiro de 2013

O preço do transplante

Eis que venho para São Paulo para fazer uns exames e consultas (os de rotina...), chego no apartamento e me deparo com uma carta. É do SUS, falando sobre o meu tratamento (no caso o transplante) e fazendo uma "pesquisa de consumidor", se eu fui bem atendida e blá blá blá, e então surge uma tabela muito interessante:

VINTE E DOIS MIL QUINHENTOS E 2 REAIS E VINTE E NOVE CENTAVOS!!!

O da minha mãe ainda veio R$: 2,209,54!!!


Ainda bem que ali está escrito: "Valor total PAGO" e não "Valor total a SER PAGO"